Usado em junho Liderar ou ter cargo
Líder, liderar, cargo e liderança transacional.

Dediquei mais de 20 anos estudando e praticando sobre liderança, e, dedico meus dias a entender cada detalhe de uma verdadeira liderança e identifica-la

Gostar de pessoas, estar disponível, tratar de maneira empática, conhece-las em seus jeitos e trejeitos, são algumas das habilidades que um líder utiliza em seus relacionamentos e que o fazem ser admirado e seguido.

Há muito tempo, quando se tratava deste assunto, logo havia uma admissão de quem, ao haver uma ascensão de poder sobre outras pessoas, a liderança afloraria. Estamos falando aqui de exercer poder sobre alguém hierarquicamente. Assim como é até hoje no exército, por exemplo, um sargento dá ordens para soldados, e estes, por sua vez, devem obedecer para que não sofram nenhuma sanção mais rigorosa.

De maneira mais atual, eu diria que vem se descobrindo as características do líder, que em maior ou menor grau, realmente exercem uma grande influência nas pessoas, e passam a lidera-las não em razão de uma atividade laborativa somente. O líder se apresenta nas brincadeiras de crianças, na adolescência, na vida adulta, nos relacionamentos, nas famílias, no trabalho, nas comunidades, ou seja, em todos os lugares.

Tenho visto ao longo dos anos que não necessariamente a pessoa é líder em todos os lugares, embora, a postura de liderança seja mantida. O que quero dizer: dependendo de onde a pessoa com as características de líder estiver, ela pode ou não assumir a posição, dependerá do ambiente e da presença de alguma outra pessoa que tenha a liderança e que seja capaz de conforta-la ao tomar a frente da proposta.

Ser uma liderança não é uma decisão, é uma postura de vida diante das situações vivida

Para que isso aconteça o desempate estará basicamente nas ou na habilidade específica mais adequada para a proposta. Mas veja, se houver na situação alguém mais adequado para a tarefa em específico, mais hábil, mas sem liderança, com certeza o líder saberá utilizar muito bem o recurso que tem em mãos, mas se além da habilidade, houver liderança na pessoa, acontecerá o que se chama de liderança transacional, ou seja, naquela proposta, naquele desafio, a liderança muda de mãos, para o bem coletivo.

Fica evidente, portanto, que a hierarquia é uma forma de organização que as empresas utilizam com o intuito de melhorar e facilitar a forma de feedback que cada área deverá dar para que o gestor possa tomar conhecimento do andamento de cada uma delas e decisões para melhorar o rumo da empresa.

Não podemos negar que os modelos modernos de empresas, cada vez mais tem descentralizado as atuações. Embora ainda existam as mais tradicionais, fatalmente terão data para mudar a forma de organização, disso não tenho dúvidas. O modelo descentralizado exigirá do empresário e das lideranças uma capacidade ainda maior de alinhar os interesses e manutenção do compromisso.

Escolha para a posição de “responsável por pessoas” não quem tem conhecimento técnico somente, mas quem entende de gente. Se o técnico não gostar de gente, piorará o que não está bom.

Portanto, eleger uma liderança na empresa, será cada vez mais estratégico, o que significa dizer que o cargo em si, passará a ser a informação menos importante, já que ele somente não ajudará a manter a liderança da equipe. E mais, se a promoção a um cargo de liderança já pressupunha um nível de estratégia com relação ao escolhido, certificando-se sobre a capacidade em se relacionar e liderar pessoas, agora então, muito mais.

Focando nas características, ou habilidades (como preferir) que um líder deverá basicamente ter para estes novos tempos, destaco as seguintes:

1 – Gostar de gente!

Esta frase é a minha preferida. Não vejo possibilidade de uma liderança exercer seu papel sem que ame amar gente. A liderança seve estar satisfeita em ser procurada para que ouça sobre os problemas, sonhos e limitações que cada um dos seus liderados possui.

O líder fará questão de conhecer cada um dos seus, não porque o protocolo exige, porque é natureza dele e é do repertório variado das capacidades de cada um que fará com que aloque pessoa por pessoa no lugar correto, rendendo muito mais.

 

2 – Ser disponível

Perceba que gostar de gente pressupõe esta segunda característica, ou seja, dar acesso às pessoas. Esta disponibilidade é abrangente, e não aquela restrita em tirar dúvidas somente de assuntos do trabalho, mas de estar disponível para ser apoio em qualquer aspecto da vida.

Eventualmente você pode até me perguntar: mas tem que ser amigo? Claro que poderá nascer uma grande amizade com posturas assim, porém a ideia é ser realmente disponível. Acontece inúmeras vezes de pessoas precisarem alguém para conversar, para desabafar, e não ter com quem fazer isso. O líder disponível poderá ser esta pessoa, porque ele é uma figura que além de passar confiança, ele tem autoridade e credibilidade.

3 – Ser empático

Talvez não exista uma situação pior para ser vivida quando o líder não se coloca no lugar do outro. Todos tem seus dias difíceis, e de repente a produtividade cai, o foco não é possível, entre outras coisas. Mas não sendo a característica da pessoa, o líder não chamaria atenção ou forçaria a performance que ele conhece, mas sim, se coloca à disposição para ajudar. Esta atitude ganha muito a aderência de toda a equipe e favor da liderança

4 – Saber Ouvir

Ora, ouvir uma opinião ainda que seja contrária, entender porque as pessoas se posicionam de determinada maneira é ser empático, é se colocar no lugar do outro. Como isso muda as relações! As pessoas não se sentem julgados e nem cobrados, mas compreendidos e valorizados.

Ouvir é desafiador, porque nem sempre é um bom momento, nem sempre o assunto é o mais importante, entretanto, o verdadeiro líder, aquele que dá real importância para as pessoas, tem preferência em colocar em primero lugar o seu liderado, e arrumará tempo e momento adequado para ouvir com muita atenção. Esta atitude desenvolve o sentimento de importância muito grande.

Nenhuma destas características é anuladora de foco, persistência, força e dinamismo. Se precisar dar um bom calor na turma, como gosto de falar, será feito, porque o que se desejará com isso é o melhor para todos e não uma vantagem pessoal.

Esta é a cara do novo líder. São as únicas e decisivas? Não, com certeza não, mas não são desprezíveis, sem dúvidas essenciais ao líder. Portanto, reflita sobre como você se compromete com as pessoas que liderará!

 

Deixe um comentário

Abrir Chat